quinta-feira, 22 de março de 2012

Coincidências


Ciao!

Rio de Janeiro, 19 de Março de 2012. Há exatamente um ano atrás, comecei meus estudos em Marcenaria e Design de Mobiliário com a Professora e Arquiteta Norma Correa. De lá para cá, aprendi sobre os grandes nomes do design brasileiro e internacional, sobre os vários tipos de madeira e suas aplicações, e sobre concepção, desenho, execução e acabamento do móvel propriamente dito.

Técnicas de cortes, encaixes, curvas e modelagem da madeira foram algumas das disciplinas a que me dediquei. Desenvolvi o conhecimento sobre o preparo das superfícies, sobre o tingimento e sobre o acabamento final para a obtenção dos mais diversos efeitos, como envelhecido,  lustroso,  acetinado, dentre outros.

Tornei-me amigo e, principalmente, parceiro da minha, então, Mestra. Desenvolvemos com seriedade e, ao mesmo tempo, com muita alegria e diversão, os projetos do Banco Rolha, do CAJONaldo Angelim e do CAJON Rosebud. Depois, vieram o CAJON do Barão e o Armário do Terraço, nas férias. Mais recentemente, o CAJON Xadrez e também os projetos do Banco Ampulheta e do Cachepot, com a criação da Linha Compensa. E o projeto do CAJON Gamão começa a tomar forma. Ao todo, são nove trabalhos em doze meses e ainda há alguns projetos “no papel”, ou seja, uma  produtividade muito boa e em excelente companhia!

O Banco Rolha, inclusive, ilustrou a Palestra sobre Design de Mobiliário apresentada pela Norma na mostra Morar Mais por Menos 2011, na qual fui convidado para falar sobre o processo de criação da peça. O evento foi um sucesso!

Nossa parceria produziu também o Atelier da Ladeira do Viana, que já está funcionando a pleno vapor! A primeira turma de 2012 já concluiu o curso e a próxima já começa neste Sábado, 24.

Da evolução dos nossos papos sobre design e sobre estilo de vida, passamos a conversar sobre paisagismo, fui apresentado ao trabalho do Engenheiro Agrônomo Toni Backes e já me Matriculei no seu curso de Paisagismo Produtivo na PECCA, na Universidade do Paraná.

Não podemos nos esquecer dos amigos que fizemos : Luciano e Luis, da Movelaria Belmonte; Piero, talentosíssimo marceneiro e designer; o Sr. Alberto, boa praça, sempre bem humorado, sempre quebrando nossos galhos e também muito talentoso no trato com a madeira; a Tatiana, a Valéria e a Silvana, nossas companheiras de Sábadão, com direito a almoço!

Com tanta luz, conhecimento, sabedoria, amizade e tamanha afinidade, não seria de se estranhar, portanto, que esta bela história tivesse tido iníco, justamente, em 19 de Março, dia de São José!

Faliz dia do Marceneiro!





Ciao!

Um comentário:

Ana Martins disse...

Hoje eu percebi o quanto marchetaria é uma questão de sensibilidade ...é como aquela frase "tudo pode ser,que náo pode ser que não é..." pois para mim pode ser o que a gente quiser,vai muito além disso é muito mais que tudo , é alma, é desejo e vontade de fazer algo crescer e acontecer..." e Viva os cajons, com tabuleiro de xadrez ou jogo de damas!