sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Cafe Botanica, La Bicyclette ... qual escolher?


Ciao!

Passei boa parte das minhas férias no Jardim Botânico e, como me encontrava por lá normalmente por volta do meio-dia, acabei descobrindo dois lugares para almoçar: o Cafe Botanica, que fica dentro do Jardim Botânico, e o La Bicyclette, que fica na parte externa, junto à Associação dos Amigos do Jardim Botânico e ao Teatro Antonio Carlos Jobim.

Para quem gosta de um serviço de boa qualidade, atendentes sorridentes, diversas formas de pagamento (Visa Vale inclusive) e um paladar delicioso, recomendo fortemente o ... Cafe Botanica.

Não que o paladar dos pratos do La Bicyclette deixe a desejar, longe disso. Mas neste outro, topei com um atendimento muito ruim e, até mesmo, com talheres sujos, sem falar na limitada opção de pagamento : dinheiro ou cartão de débito. E só.

Como um fica dentro do parque e outro fora deste, o ideal é se associar ao JB e ganhar em dobro!


Ciao!

Corrida de Rua - Micareta sem Cerveja


Ciao!

Há algum tempo venho me dedicando às corridas de 5km e, como o Circuito das Estações da Adidas estava se aproximando, resolvi me inscrever, porque não gosto de falar mal de nada que eu não conheço devidamente.

Inicialmente, o título deste  post  seria "Como se aborrecer por R$ 100,00", mas confesso que a equipe que cuidou do evento está de parabéns, tudo deu certo.

O que estraga o evento é sua popularidade e, logicamente, a falta de bom senso das pessoas. Assim sendo, eu resolvi mudar o título para "Micareta sem Cerveja", porque é exatamente isto. 

A organização do evento, estrategicamente, dedica dois dias praticamente inteiros para a entrega dos kits, mas as pessoas só comparecem no horário de almoço ou na última hora. Eu, é claro, fui retirar meu kit assim que o local de entregas abriu e, para quem tomou a mesma decisão, deu tudo certo, o espaço estava vazio e sem bagunça. Quem deixou para os horários de pico, não teve a mesma sorte.

No dia da corrida, novamente a organização do evento acertou, designando uma equipe grande, subdividida por faixas de numeração (ex.: de 1 a 499, de 500 a 999, etc.), durante uma hora inteira e terminando meia hora antes da largada, para a retirada do chip, mas teve gente chegando para fazer a retirada faltando 5 minutos para o início da prova.

Na largada, a organização do evento dividiu o espaço em pelotões : Quênia, Avançado, Intermediário e Iniciante, e teve gente largando no Avançado e, após 1km de prova, passando a caminhar…

Resumindo : é uma micareta, onde você paga, tem que pegar seu abadá e não precisa correr, basta andar, pode tirar fotos no meio do circuito, brincar com os amigos, enfim, correr é só um detalhe; as diferenças básicas são a ausência de cerveja e do trio elétrico e a entrega de uma medalhinha no final do percurso, o resto é igual.

Isto posto, foi a primeira e última vez que me aventuro em um tipo de evento como este, prefiro correr na belíssima e tranquila Pista Cláudio Coutinho, na Urca, pois lá é possível ouvir o canto dos pássaros e o barulho das ondas do mar batendo nas pedras, bem como aproveitar a sombra das árvores e curtir o ar puro. E é de graça e sem fila!

tempo da prova : 5 minutos mais lento do que a minha média, tamanha era a crowd 


Ciao!

A vida sempre se renovando

Ciao!

Fico feliz que a minha vida esteja sempre se renovando. Hoje, há exatos 2 anos, eu escrevia um post falando bem sobre as minhas férias que findavam. E eu agradecia pelos 30 dias durante os quais eu não havia feito absolutamente nada, apenas descansado, bebido, fumado e comido. Celebrei as amizades, é verdade. Viajamos com um casal de amigos para nos despedirmos de outro amigo, que estava com câncer, o Zezé, grande percussionista... lhe demos de presente um Cajon que eu comprei na Rua da Carioca - eu ainda não era marceneiro, ainda não fabricava meus próprios Cajones, senão, teríamos dado um feito por mim e a homenagem teria sido muito mais valiosa. Ao final do texto, eu refletia sobre como seriam as próximas férias e sobre a possibilidade de ter um filho. 

Este ano, tirei férias no mesmo período, Agosto. Entre as férias de 2012 e as de 2010, houve as de 2011, em Setembro, quando fomos para a Argentina com um (outro) casal de amigos e muito nos divertimos. 

Mas as férias deste ano foram divinas. E totalmente diferentes das demais. 
Em vez de não fazer nada, fiz de tudo! 
Fiz um curso de Jardinagem no Jardim Botânico.
Reformei meu terraço, refiz portas, pintei armários.
Terminei meu cachepô no Atelier.
Conheci a Marcenaria Naval.
Remei na Urca. Conheci gente no meio do mar.
Corri 5km por dia.
Não fui ao sol quando ele surgia... ele surgiu todos os dias. E veio a mim. Só fui a praia em dois dias, mas estou queimado de sol, do sol que me bronzeou nas corridas, nas remadas, no trabalho braçal das reformas do terraço, nos passeios aos jardins que conheci, que foram muitos, pelo menos cinco!

Houve também as semelhanças, também curti o dia dos pais com meu pai, o aniversário da Clarinha com a família. Mas fui muito mais família: os meus, os dela, os nossos. E fui muito mais pai: no início do ano, passamos pela tristeza de perdermos nosso bebê, mas já estamos curtindo uma nova gravidez!

Não fumei mais, nunca mais, estou feliz e vendendo saúde. Que em 2013 seja tudo muito mais bonito, como sempre tem sido a cada ano.

Ciao!