quarta-feira, 19 de novembro de 2008

O Rio que o Carioca merece

Ciao!

Rio de Janeiro, 17 de Novembro de 2008, por volta das 18:30. Escrevo diretamente do meu Smartphone Samsung que, diga-se de passagem, é ótimo! Mas isto é papo para outro post.

Chove muito no Rio, escrevo do interior do Ônibus de Integração do Metrô, que me leva ao Leblon e brinda a todos os passageiros com as belezas da Orla, preâmbulo para o terror da Av. Niemeyer rumo à Barra da Tijuca.

A razão de escrever foi motivada por uma pessoa que estava na mesma condução, daquelas carentes de papo, que resmungam sozinhas até que alguém lhes dê atenção. E eu dei.

Olhando o rio que se formava em ruas como a Figueiredo Magalhães e a Serzedelo Correia, ela comentou:
- Que absurdo!

Eu, inicialmente, ignorei, mas ela continuou:
- Isso é um absurdo!

Tentei não entrar na conversa, até que ela falou:
- Ninguém merece!

Aí, eu não aguentei, não só porque odeio esta expressão, como também porque acho que "alguém" merece. Então, lhe disse:
- Perdão, mas eu acho que merece sim... todo Carioca merece isso. O Carioca suja as ruas e acha que o bueiro entupido é culpa do prefeito ou do governador. O Carioca ajuda a entupir as galerias pluviais da cidade.

Acho que a pessoa não gostou muito do meu comentário, porque virou para o outro lado, irritada com a minha colocação. Sei que consegui alguma coisa : sensibilizá-la, ou me livrar dela ... e fiquei curtindo o arco-íris que se formava...

Ciao!