sábado, 13 de agosto de 2011

Cajon

Ciao!

Aos 32 anos de idade, comecei a estudar bateria na Artemúsica. Meu professor, o Sérgio Conforti, já naquele tempo (2003, 2004), iniciava as atividades do Tambor Carioca, um grupo de percussão que hoje faz shows e tem oficina própria. Logo me enturmei com o pessoal e comecei a mostrar habilidade na percussão. Quando o percussionista Marcos Zamma levou o curso "Toques de Tambor" para a escola, não pensei duas vezes e me inscrevi e, ao final do curso, que durou 4 meses, eu já fazia parte, como percussionista, da banda que acompanhava a cantora Patrícia Mauro. Fizemos shows em Ipanema e gravamos algumas faixas de seu disco em um estúdio no Humaitá.

Naquela época com o Zamma, fui apresentado ao Cajon, intrumento de percussão feito de madeira, que ele tocava e também fabricava. Desde então, fiquei fascinado e, seguindo os passos do mestre, também passei a tocar e fabricar o instrumento. Antes, comprei um na Maracatu Brasil, feito pelo Tião e, depois, passei a fazer os meus próprios. Um destes, dei de presente para a Artemúsica.

Há mais ou menos duas semanas, nas aulas de marcenaria, apresentei à professora Norma o instrumento juntamente com um projeto para desenvolvermos na oficina, aplicando as técnicas de esquadrejar, folhear e marchetar. O material utilizado foi compensado e sobras de laminado de Angelim. Então, com vocês, o passo a passo até chegarmos ao final:

 O primeiro passo foi folhear a parte traseira para, então, fazer o furo por onde sai o som.

Em seguida, utilizando técnicas de esquadrejamento, foi montada a caixa com a estrutura reforçada por parafusos que, depois, seriam cobertos pelas folhas de laminado de madeira.

Aqui, um exemplo da aplicação das folhas de laminado de Angelim. 
No tampo, foram utilizados retalhos para a aplicação dos laminados em direções opostas, para dar a sensação de movimento.

Objeto pronto, visto por trás ...
... e pela frente (as fitas serviram para proteger o laminado quando da furação do tampo).

Aplicação de verinz fosco e incolor, para proteção da madeira.

Acabamento final em cera de abelha e carnaúba, aqui visto pela parte traseira ...
... e aqui, pela parte dianteira.

Este projeto foi inspirado em um Cajon que eu já possuía (aquele, fabricado pelo Tião da Maracatu Brasil).

Pronto, agora é só levar um som!

Ciao!


2 comentários:

Marcinho disse...

Parabéns Velhinho, show de bola.

Abs,
Ciomar

Paulo Peltier Fucci disse...

Obrigado amigo!
Quando vai rolar outro Salete?
:o))

Abração!