quinta-feira, 14 de julho de 2011

Livros

Ciao!


Nos seis primeiros meses do ano, li seis livros. Pretendo manter a média e já estou concluindo o sétimo. Como tudo aqui no blog, a idéia é compartilhar! Então, segue um breve resumo do que tenho andado lendo:

FEIOS (e PERFEITOS e ESPECIAIS)
Entrei em uma livraria e, como de costume, fiquei passeando ao redor das estantes, um dos programas que mais curto. De repente, lá estava um livro com um título inusitado : FEIOS! 
Na capa, alguns comentários sobre as críticas do New York Times. Eu sou a contradição literal de não julgar um livro pela capa. Adoro capas de livros, gostei desta e comprei. Falava sobre um mundo onde todos eram belos e, quando todos são belos, niguém é belo. Achei o conceito interessante mas, quando li, vi que não era bem exatamente o que eu havia entendido de primeira. De qualquer modo, a história é ótima, e "caí dentro"! Me aproximando da final do livro, percebo que a história está longe de ser concluída. Viro a última página e, só então, reparo que há uma continuação. Pesquiso um pouco mais e descubro que, na verdade, há mais dois volumes : PERFEITOS e ESPECIAIS. 
É uma história de fantasia, aventura, e Scott Westerfeld escreve muito bem, devorei os dois volumes seguintes no mesmo tempo que levei para ler o primeiro. Ele é também autor de Tão ontem, mas este ainda não li. A série Feios (Uglies) é best seller do New York Times e será levada para as telas de cinema.

ELOGIO DA MENTIRA
Livro escrito pela autora brasileira Patrícia Melo, um romance policial onde o escritor José Guber, solteiro, se envolve com a bióloga Fúlvia Melissa, casada, especialista em cobras.
Trama muito bem escrita e amarrada, é um excelente livro desta escritora e também roteirista de cinema. Dentre outros de seus trabalhos, estão os roteiros de O Homem do Ano (2003), Traição (1998), Bufo & Spallanzani (2001) e O Xangô de Baker Street (2001).

HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE
Li todos os livros da série, é impressionante imaginar que a autora pensou em toda a história em apenas um único momento e, então, colocou-a em papel, como se a história tivesse se escrito sozinha.
Como em todos os livros da série, o amor e a amizade são elementos-chave para a trama. Em Harry Potter e as Relíquias da Morte, J. K. Rowling leva o leitor por uma trilha de suspense, com sustos ininterruptos até a última página, quando entrega, por completo, toda a verdade e conclui os passos de herói de Harry Potter na maior saga bruxa de todos os tempos.

A BATALHA DO APOCALIPSE
Este livro me fez sentir saudades da minha mãe. Se viva, ela iria adorar a história, rica em detalhes e com um personagem que não tem como não se apaixonar, o Querubim Ablon, anjo renegado.
Há muitos e muitos anos, há tantos anos quanto o número de estrelas no céu, o Paraíso Celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio, e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o dia do Juízo Final. Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas, o dia do despertar do Altíssimo. Único sobrevivente do expurgo, o líder dos renegados é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na batalha do Armagedon, o embate final entre o Céu e o Inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro do universo. Das ruínas da Babilônia ao esplendor do Império Romano; das vastas planícies da China aos gelados castelos da Inglaterra medieval. A Batalha do Apocalipse não é apenas uma viagem pela história humana, mas é também uma jornada de conhecimento, um épico empolgante, cheio de lutas heróicas, magia, romance e suspense.

CAMINHOS DA LEI
Sete histórias sobre tribunais e julgamentos, contadas com suspense e ironia e construídas com personagens cheios de humanidade marcam a estreia de John Grisham na narrativa curta.
Em Caminhos da Lei, o autor retorna ao interior do Mississippi, local que serviu de cenário para o seu primeiro sucesso, "Tempo de Matar", para mostrar o confronto entre o conservadorismo da vida mediana e sentimentos como a ambição, o ciúme e o tédio, em dramas nada banais. O livro marca também a estreia de
novo projeto gráfico para a obra de Grisham. Até o final de 2011, outros quatro livros do autor chegam às livrarias em nova edição.
Assim como Stephen King criou (e destruiu) a sua Castle Rock, John Grisham e sua Clanton entram no rol de grandes cidades literárias e é um dos maiores atrativos deste livro.

Agora, que venham os próximos. Já estou namorando o mais novo lançamento de um dos meus autores prediletos, Fabrício Carpinejar : Borralheiro - Minha Viagem Pela Casa

Ciao!

2 comentários:

Luciano Cavalcanti de Albuquerque disse...

Veio a calhar, acabei o livro que estava lendo e tinha ficado órfão, agora, pela dica, vou atacar o o o Feios, pela sua crítica me agraou bastane.

Paulo Peltier Fucci disse...

É uma história de fantasia e eu adoro este tipo de livro, viro criança de novo. Terminei recentemente o Toupeira, a história do assalto ao Banco Central de Fortaleza, excelente livro.

Um abraço,
Paulo Fucci