quarta-feira, 16 de junho de 2010

Coceira Musical

Ciao!

Esta semana, conversando com um amigo sobre processo criativo, explicava a ele que, às vezes, a música simplesmente me vem. Eu não tento escrevê-la, tampouco compor sua melodia, simplesmente surge na minha mente. O que preciso fazer é ficar cantando-a até que chegue a um lugar onde eu possa: primeiro, escrever a letra (para não esquecer) e, depois, “tirar” a música de ouvido, passar pro violão. Se der, ainda gravo uma versão, tosca mesmo, só para não perder o som. No celular serve. Quando o som é bom, lógico.

Mas o que não falei pra ele é que, às vezes, é pior que isso. Porque a primeira coisa que se imagina é que, caso não seja possível escrever a música, ou simplesmente por pura preguiça decide-se deixá-la passar, o mundo segue o seu caminho. Mas não. Às vezes, é que nem coceira. Coceira é uma coisa que só passa quando a gente coça. A música é que nem. Se eu não parar pra escrevê-la, ela fica coçando.

Ciao!

Nenhum comentário: